A Força das Palavras

Ontem recebi a resposta do provedor, falando que o serviço de hospedagem que contratei estava disponível para o Blog. Pela lógica humana, se você é contratante de um serviço, você quer escolher pelo menos o login e a senha com os quais irá conviver pelos próximos meses ou anos.

Acontece que neste caso prevaleceu a lógica digital. Ao criar o login, o provedor (ou o sistema do provedor) utilizou o nome do domínio, truncando nos 8 primeiros dígitos.

Como o domínio é novasinapse.com, então o login ficou “novasina”. Tudo bem se o painel de controle do serviço que contratei tivesse a opção de mudar o login temporário. Não tinha.

De início, estava empolgado e passei por cima dessa “sina”, sem reparar. Fui direto na seção do site do provedor que orienta a migrar o sistema antigo para o novo. Quando apareceu “novasina” na minha frente e percebi a força da palavra em destaque, eu travei. A ficha caiu e reparei na esquisitisse….

icon_more.gif Leia e comente o texto completo aqui

Anúncios
Explore posts in the same categories: Uncategorized

One Comment em “A Força das Palavras”

  1. Emanuel Says:

    O que o filme não mostra sobre Masura Emoto é que ele procura, de antemão, cristais que tenham a ver com as palavras. Ou seja, é um caso em que as palavras não têm poder algum… é apenas um efeito artístico, nada mais que isso.

    Lembra do famoso James Randi? Aquele que oferece um prêmio de um milhão de dólares para quem demonstrasse algum efeito “sobrenatural”? Pois ele desafiou Masura Emoto, dizendo que se ele conseguisse demonstrar aqueles efeitos, sem selecionar cristais de antemão, ele estaria qualificado para receber o prêmio. Não me surpreende que o carinha jamais tenha aceitado o desafio.

    Aliás, esse filme é famoso por utilizar efeitos comuns de uma maneira tendenciosa, como se fossem grandes desafios à ciência moderna. Na verdade, um desafio à inteligência dos espectadores é a única coisa que o filme conseguiu produzir…


Comentários encerrados.


%d blogueiros gostam disto: